domingo, 18 de dezembro de 2011

Inimigos, desafetos.

As vezes ouço pessoas falarem que odeiam certas pessoas e que queriam paz, viver sem a pessoa. Não as culpo, realmente não deve ser agradável ter uma pessoa que não gosta de você e que sempre está tentando ferrar sua vida de um jeito ou de outro. 

Como parei de divulgar esse blog em minhas redes sociais, a unica coisa que (provavelmente) alguém que estiver lendo isso sabe de mim é meu email e meu twitter (se está lendo isso, me siga, não se arrependerá!). Por isso informo que não possuo desafetos e tento ser legal e não desrespeitar ninguém. Me pego pensando se não seria bom ter uma certa pessoa que eu pudesse odiar e tentar fazer dos dias dessa pessoa os piores que alguém pode ter na terra. 

Eu acho que ter um inimigo (ou pelo menos um desafeto) faz parte da lista de coisas que todo ser humano deve fazer antes de morrer. Deve ser pelo menos divertido.

Não sei se estou escrevendo deste modo por conta de que nunca tive um inimigo (o mais próximo de ter um inimigo foi chamar uma menina de puta na frente da escola inteira) ou se é porque eu já estou de saco cheio de ser o "legal". 

Mas, como dizem, é melhor experimentar do que ficar sempre se arrependendo de não ter feito.

Pode até parecer engraçado eu estar aqui dizendo que preciso de um inimigo enquanto as pessoas normais que existem por ai pedem um amor ou coisa parecida. Ainda não pensei muito o suficiente pra decidir isso, mas acho que não sou uma pessoa que pode ser julgada como normal perante a sociedade.

------  Siga me no twitter: @alvarobpjr  ------

Nenhum comentário:

Postar um comentário