segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Pirataria e geográfia

Você pode estar pensando que eu não esteja com nada pra fazer pra postar tantos textos grandes assim, e não é só isso. Tanto é que no tuiter escrevi o seguinte:

                                                    RT: @alvarobpjr: Estou entediado, pra baixo, triste, doente, cansado e com vontade de morrer. Acho que vou é escrever uns 3 textos.

Em partes é verdade, mas é mais por causa de uma coisa que descobri hoje que me deixou realmente triste e desorientado com a vida.

Mas não é sobre isso o texto. Queria comentar um pouco com vocês sobre a pirataria. Antes de mais nada, gostaria de dizer que tenho uma opinião bem definida sobre pirataria.

Sou contra. Não é certo com os artistas, ou com os donos do direito vender (veja que está destacada a palavra) o produto deles sem dar nenhuma porcentagem ao criador de tal coisa. Mas, as leis estão ficando muito rígidas. Leis que antes eram totalmente contra um monopólio de algo (chegando até a dividir a AT&T nos EUA em várias operadoras) estão favorecendo estúdios e artistas que cobram absurdos por suas criações. Deixando-as inacessíveis as pessoas que não tem condições de pagar tal fortuna por um produto que esperam gostar (as pessoas não podem ver, ouvir, experimentar o produto antes).

Outro grande problema que eles não levam em conta para os fãs que desejam os produtos, é a posição geográfica. Um DVD das 4 primeiras temporadas de Doctor Who custa, aproximadamente, R$200,00 comprado diretamente do eBay inglês. E o DVD nem legenda em português tem. Em outras palavras, eu pagaria uma fortuna por um produto, sendo que ele não atende completamente as minhas necessidades.

O que então eu posso fazer para ter acesso ao conteúdo, se não tenho uma boa opção para comprar o produto que eu estaria disposto a comprar, mesmo sendo uma fortuna e não atendendo minhas necessidades por completo? Bom, poderia recorrer ao download do conteúdo por sites de compartilhamento de arquivos na internet. Poderia. Se o monopólio não tivesse sido criado no mercado de conteúdo, fazendo com que os sites sejam fechados.

No Brasil eu não posso assistir Doctor Who (ainda, a TV cultura vai começar a passar!!) ou Sherlock e não tenho oportunidade de adquirir o conteúdo por um preço em conta, e ainda quero acompanhar a série. Mas não posso. 

Estão me privando do acesso ao conteúdo. Só porque dei o azar de nascer na parte errada do mundo. Lamentável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário