sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Um gênio


A exatamente um ano eu escrevi um texto. Não apenas um amontoado de palavras para formar uma volumosa redação. Eu escrevi sobre um ser humano, Steven Paul Jobs talvez um dos maiores gênios da humanidade, talvez não. 

Ele havia falecido naquele fatídico dia, e eu sei que nem tudo que coloquei naquele fragmento de texto é verdade. Ele não foi O Maior Gênio que a humanidade já viu, mas está entre Os Gênios da Humanidade, sem sombra de dúvidas. Não vou me estender defendendo o que penso sobre ele, se quiser se informar sobre este fantástico ser, leia a biografia dele.

E justo hoje, dia do aniversário de um ano da morte da pessoa que considero um dos meus maiores ídolos  conversava com alguns familiares discutindo sobre modelos de estudo e genialidade. Defendo, até o meu último suspiro, que a pessoa que estuda horas por dia, faz inúmeras atividades e tem concentração não é um gênio, e sim uma pessoa muito esforçada. Gênios são pessoas que, independente de estudos, possuem um dom natural para fazer as coisas. 

Consigo exemplificar muito bem o meu pensamento. Bill Gates, um dos maiores empresários do mundo é uma pessoa muito esforçada e trabalhadora. Isto o tornou o homem mais rico do mundo por algum tempo. Já o próprio Steve Jobs é um gênio  pois ele nunca se importou muito com estudos, sempre fazia o que queria. Inventou e aperfeiçoou inúmeros produtos que hoje usamos no dia-a-dia.

Tudo pode parecer bem subjetivo, mas há de se concordar que qualquer um pode ser um gênio incompreendido, principalmente quando se olha para a história e vê-se que Van Gogh só vendeu uma tela em vida. Normalmente eles não são, e por isso que eles fazem toda a diferença. Quando você menos espera, pessoas como eles surpreendem e podem mudar tudo.

E creio que o Steve Jobs fez isso mais de uma vez. Ele mudou tudo. Descanse em paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário